afinal-vale-a-pena-fazer-o-jejum-intermitente.jpeg

Afinal, vale a pena fazer o jejum intermitente?

Já reparou como parece que estamos constantemente querendo perder alguns quilos? É verdade. Estamos sempre em busca de ter um corpo mais bonito e, para isso, testamos tudo o que pode nos ajudar. Mas, como nem tudo é seguro, é necessário avaliar todas as formas de dietas.

Neste texto, trataremos do jejum intermitente: vamos abordar como ele deve ser feito, quais são os perigos, as vantagens e os benefícios para a saúde e se, de fato, vale mesmo a pena praticar como uma forma de dieta. Acompanhe!

Como funciona o jejum intermitente?

O objetivo aqui é a perda de peso e, como o próprio nome já pode sugerir, o jejum intermitente funciona da seguinte maneira: intervalos prolongados de jejum intercalados com momentos de alimentação.

A ideia é fazer com que o corpo fique sem carboidratos (nossa principal fonte de energia) e passe a metabolizar a gordura para fabricar a energia necessária.

Quais são os benefícios?

Uma recomendação comum dos nutricionistas, e que predominou como absoluta por muitos anos, é a necessidade de nos alimentarmos de 3 em 3 horas. O objetivo desse método é: comer pouco (em intervalos menores de tempo), conseguir uma variedade maior de nutrientes, não sentir fome e acelerar o metabolismo.

Porém, novos estudos têm mostrado que a nossa fisiologia não é tão simples assim e que o nosso corpo se comporta de maneiras diversas, frente a variados estímulos. As pesquisas feitas com o jejum intermitente mostram isso.

Esse tipo de dieta oferece diversos benefícios, desde que seja feita da maneira correta, ou seja, sob a supervisão de um profissional especializado. Entre as vantagens, podemos citar:

  • dá mais disposição para realizar as tarefas do dia a dia;

  • ajuda na manutenção das taxas glicêmicas dentro da faixa de normalidade;

  • estimula o organismo a utilizar as reservas de gordura;

  • auxilia no controle do cortisol — hormônio liberado em situações de estresse e que é maléfico para a nossa saúde;

  • proporciona um melhor funcionamento do cérebro.

O jejum intermitente não é o tipo de dieta que qualquer pessoa pode fazer. Ele é específico e só deve ser prescrito por profissionais, como um nutricionista.

Como colocar o jejum intermitente em prática?

Para fazer esse tipo de dieta é preciso que, antes de qualquer coisa, você seja autorizado pelo seu médico e nutricionista. Pessoas que sofrem de gastrite, por exemplo, devem evitar a prática, já que a produção de suco gástrico aumenta, causando dor.

Os intervalos sem comer são de, no mínimo, 10 horas e, no máximo, 24 horas. Após o período de jejum, entra o da janela de alimentação, que é quando a refeição é permitida. Fora desse ínterim, só é liberada a ingestão de bebidas que não contenham calorias, como o café ou chás sem açúcar e água com ou sem gás.

Existem vários tipos de jejum intermitente e cada um deles pede um intervalo de tempo diferente. Vamos agora conhecer como funciona cada um deles:

1. Jejum de 12 horas

É a opção mais corriqueira e é ideal para quem está iniciando esse tipo de dieta. Aqui, a pessoa deve passar metade do dia sem se alimentar, isso incluindo as 8 horas de sono. Por exemplo, se você vai dormir às 22 h, não pode comer antes das 10 h do dia seguinte.

Mas é preciso realizar as 3 refeições do dia, ou seja, café da manhã, almoço e jantar. É possível, por exemplo, começar o jejum às 19 h para que, no dia seguinte, o café da manhã possa ser tomado às 7 h normalmente.

2. Coma, pare, coma

Esse já é um nível mais avançado, pois nele é preciso ficar um ou dois dias completos em jejum. Assim, se você fizer uma refeição hoje, ao meio-dia, só poderá voltar a se alimentar no mesmo horário, porém, 24 ou 48 horas depois.

É um método mais difícil de seguir e, por conta disso, o ideal é que a refeição feita antes de iniciar o jejum seja rica em bons nutrientes e fibras.

3. Sistema Leangains

Aqui o jejum deve ser de 16 horas e pode ser utilizado como um intermediário entre os dois tipos citados acima. Dentro de 1 dia, sobram apenas 8 horas para se alimentar e, nesse período, é possível fazer de 2 a 3 refeições. Você decide qual é o melhor horário para estabelecer a sua janela de alimentação.

4. Coma apenas quando sentir fome

Nesse caso, você só pode comer quando realmente sentir fome e não quando estiver somente com vontade, como acontece muitas vezes. É preciso cultivar esse novo hábito e, no momento da alimentação, consumir produtos que tenham bons nutrientes e muitas fibras.

É um protocolo que pode não funcionar da melhor maneira em pessoas que comem muitos carboidratos simples e, muitas vezes, se alimentam apenas pela ansiedade. O ideal é comer apenas quando estiver com a sensação de “estômago vazio”.

Independentemente do tipo de jejum escolhido, todos terão a janela de alimentação e uma redução considerável de calorias, tanto nos alimentos quanto nas bebidas.

Quem não pode fazer?

Como já informamos aqui, não são todas as pessoas que estão aptas a praticar esse tipo de dieta. O ideal é que, ao fazer o jejum intermitente, você já tenha uma vida saudável, com uma alimentação equilibrada e com práticas de atividades físicas.

Sendo assim, pessoas ansiosas, gestantes, diabéticas, lactantes ou que apresentem qualquer tipo de patologia, não devem implementar essa dieta nas suas vidas.

Vale a pena fazer o jejum intermitente?

Que há diversos benefícios nessa prática, disso não há a menor dúvida. A redução do cortisol (hormônio do estresse) e a utilização do tecido adiposo como substrato para a produção de energia são alguns deles.

Se você está tentando perder peso, seja por saúde, por estética ou para melhorar a sua qualidade de vida, vale a pena fazer o teste. Porém, certifique-se de que todo o processo será acompanhado por profissionais capacitados e que entendam sobre o assunto. 

Para quem leva uma vida saudável, provavelmente não haverá transtornos.

Como manter a massa muscular?

Essa é uma das maiores preocupações de quem pratica musculação. Afinal, o esforço para construir a hipertrofia muscular é muito grande e quem já conquistou os músculos que deseja, não quer simplesmente perder todo o trabalho.

Mas isso não vai acontecer no jejum intermitente se você seguir a dieta exatamente como ela foi prescrita. O principal é se alimentar de forma saudável nas janelas de alimentação, com frutas, proteínas, verduras e itens ricos em fibras e gorduras saudáveis.

Esse é o tipo de dieta que costuma ser difícil de seguir para a maioria das pessoas. Portanto, antes de iniciá-la, é bom se organizar. Tenha outras coisas com as quais se ocupar e aumente os seus momentos de lazer: vá mais ao cinema, à praia e saia mais com os amigos. Essas mudanças podem ajudar muito a não perder o foco.

Quer saber mais sobre jejum intermitente, além de outras formas de perder peso e ter uma vida mais saudável? Então, acompanhe nossos conteúdos pelas redes sociais: estamos no Facebook, Instagram e Twitter.

Comments (1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This