conheca-ja-os-principais-prejuizos-do-estresse-para-sua-saude.jpeg

Conheça já os principais prejuízos do estresse para sua saúde!

Com a correria do dia a dia, com os compromissos, reuniões de trabalho e tarefas domésticas, é comum que nos sintamos sobrecarregados e estressados, não é mesmo? Os prejuízos do estresse estão presentes na vida de muitas pessoas no mundo atual, em que a pressão para fazer várias coisas ao mesmo tempo é cada vez maior, e tudo acontece e se resolve em uma velocidade muito rápida.

Mas você sabe o que é o estresse? Ele nada mais é do que uma defesa do organismo, que tem por objetivo nos preparar para vencer algum perigo ou situação difícil que, se no passado eram os predadores, hoje em dia são os problemas de saúde física, como doenças ou dores, ou psicológica, causados por discussões no trabalho ou relacionamento, problemas financeiros etc.

Portanto, o estresse, apesar de ser mal visto por todos, não é de todo ruim. Afinal, é ele quem nos faz ter a disposição e concentração para vencer os obstáculos do cotidiano e nos superarmos a cada dia. Na verdade, o que nos prejudica é o excesso de estresse: esse, sim, pode fazer mal à nossa saúde e bem-estar.

Veja, abaixo, os principais prejuízos desse excesso e seus efeitos no organismo:

Depressão e ansiedade

Muitos dos problemas gerados pelo excesso de estresse não são de ordem física, e sim psicológica, como a ansiedade e a depressão.

Esses distúrbios geralmente se manifestam quando não conseguimos lidar com as dificuldades do dia a dia, o que causa a liberação excessiva do cortisol (hormônio do estresse) que, por sua vez, faz com que a produção de serotonina (responsável pela sensação de felicidade e bem-estar) seja inibida.

O efeito desse desequilíbrio no organismo é justamente a insegurança consigo mesmo e em relação aos outros, a falta do sentimento de realização pessoal e a diminuição da sensação de felicidade. Esses sentimentos podem, com o passar do tempo, levar uma pessoa a desenvolver quadros de ansiedade e depressão, que são prejudiciais à saúde e à qualidade de vida.

Dores musculares

Quando o corpo julga que estamos em uma situação de perigo, uma das suas formas de defesa é enviar mais sangue (e, consequentemente, mais oxigênio) para os músculos. É comum também que a nossa musculatura se contraia pois, antigamente, isso significava que teríamos mais força para correr e fugir de predadores, por exemplo.

Porém, essa tensão pode causar dores musculares, que são sentidas com mais frequência nas costas, ombros e pescoço. Também é comum que pessoas estressadas tenham o sentimento constante de cansaço, causado pelo grande esforço que o corpo está fazendo para se manter ativo.

 

 

Dificuldade em emagrecer

O excesso de estresse é um grande inimigo das pessoas que desejam perder peso, pois ele acaba prejudicando o processo de emagrecimento.

Essa dificuldade é causada pelo hormônio cortisol, que é liberado quando estamos estressados e que, quando em excesso no organismo, tem o poder de aumentar nossos depósitos de gordura e causar a queima de massa muscular.

Problemas cardíacos

Entre os problemas físicos desencadeados pela alta quantidade de estresse no cotidiano estão os relacionados ao sistema circulatório.

É comum, por exemplo, que pessoas estressadas apresentem um aumento significativo da pressão arterial. Esse aumento ocorre devido a um dos efeitos do estresse no organismo, que está muito ligado à sobrevivência em situações de perigo — a liberação de grandes quantidades de adrenalina.

Esse hormônio age de forma a aumentar a coagulação sanguínea e diminuir a espessura dos vasos, o que faz com que o sangue corra mais rápido pelo corpo. Porém, no nosso cotidiano atual, essas consequências do estresse podem, em longo prazo, aumentar as chances de problemas cardíacos e de infarto.

Problemas no sistema digestivo

Não é apenas sistema circulatório que é afetado pelo estresse em excesso. As situações estressantes do dia a dia e a grande quantidade de hormônios liberados durante esses momentos também desregulam a produção do suco gástrico e inibem os mecanismos que protegem a mucosa do estômago.

Esse desequilíbrio pode gerar desde azia e sensação de mal estar, até problemas mais graves, como gastrite e úlcera. Os intestinos também podem ser afetados, o que pode causar dores abdominais, diarreias, doenças inflamatórias ou levar ao desenvolvimento da síndrome do intestino irritável.

Transtornos alimentares

Indivíduos estressados têm uma maior probabilidade de desenvolver distúrbios alimentares, que são extremamente prejudiciais à saúde. Isso ocorre porque o corpo busca maneiras de lidar com estresse por meio de ações que geram sensações de prazer, como a alimentação.

Isso faz com que algumas pessoas acabem desenvolvendo transtornos como a compulsão alimentar, em que o indivíduo ingere alimentos em excesso e, geralmente, ricos em gorduras para causar a liberação de serotonina (que traz a sensação de prazer), o que pode gerar o ganho excessivo de peso e prejuízos à saúde.

Diminuição da memória

O estresse prolongado também pode causar prejuízos ao cérebro, afetando diretamente a nossa memória de curto prazo.

Isso acontece devido ao processo inflamatório que o corpo cria para responder a situações de tensão, e que afeta o desenvolvimento de neurônios. Como consequência disso, é comum que nós apresentemos perda de memória em situações simples do dia a dia, como lembrar um número de telefone ou onde guardamos determinado objeto.

Problemas na pele, cabelos e unhas

O estresse, além de afetar a parte interna do nosso organismo, também é visível na nossa aparência exterior. Quando estamos muito estressados, é comum, por exemplo, que nossos cabelos fiquem mais fracos e caiam em quantidades acima do normal, e que nossas unhas se tornem quebradiças.

Isso ocorre porque o estresse causa a deficiência de nutrientes e vitaminas essenciais para essas partes do corpo, que acabam ficando enfraquecidas. Além disso, é comum que fiquemos com a pele mais oleosa, o que pode piorar a acne, ou até aumentar as chances de dermatites e de doenças como o vitiligo.

O excesso de estresse é o causador de muitos malefícios para a saúde. Por isso, é preciso sempre ficar atento aos seus sintomas e, caso um ou mais deles esteja se manifestando muito regularmente, é indicada a busca de tratamento. Apesar de se tratar de algo sério, algumas das formas de melhorar o estresse são bem simples, como tirar um tempo para descansar, criar hobbies e fazer exercícios físicos e mentais, como a meditação.

Outra ótima maneira de aliviar os prejuízos do estresse de forma saudável é por meio dos medicamentos naturais, como os fitoterápicos, que são gerados a partir do extrato de plantas e não contêm substâncias sintéticas ou muito processadas. Muitos desses produtos, utilizados na chamada fitoterapia, contêm princípios ativos que podem ajudar no controle do estresse de forma segura e natural.

Gostou de saber mais sobre o que é o estresse e como ele se manifesta no organismo? Então, não deixe de compartilhar esse post com seus amigos nas suas redes sociais e informá-los sobre o assunto!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This