o-que-causa-azia-e-queimacao-e-como-tratar-desses-problemas-de-maneira-eficiente.jpeg

O que causa azia e queimação e como tratar desses problemas de maneira eficiente?

Você não aguenta mais conviver com azia e queimação? Você não está sozinho. Segundo uma pesquisa da Organização Mundial da Saúde, mais de 20 milhões de brasileiros sofrem com esse problema.

A boa notícia é que com o uso dos produtos corretos e uma alimentação adequada é possível diminuir ou, até mesmo, acabar com a dor. Quer entender melhor sobre o assunto e resolver esse problema? Acompanhe!

Quais são as principais causas e sintomas?

A azia é aquela queimação que as pessoas costumam sentir na região do “estômago”. Ela pode se estender para o peito e a garganta. Ela também costuma provocar um gosto amargo na boca, arrotos e tosse.

Geralmente, ela é causada pelo refluxo do ácido presente no estômago, grande responsável pela digestão dos alimentos. Porém, quando a queimação ataca, é sinal de que esse líquido está voltando em direção à boca, indo parar no esôfago.

Isso ocorre quando o esfíncter, presente no estômago, não consegue se fechar logo após a entrada do alimento. Com isso, o ácido volta para o esôfago, causando essa sensação incômoda.

Quais são os fatores que provocam a queimação?

Qualquer pessoa pode sentir azia ao menos uma vez na vida, basta comer com pressa, ingerir alimentos com muito tempero ou gordura ou, até mesmo, vestir roupas apertadas demais.

Outros fatores que podem contribuir para o início da queimação são: gravidez, uso de determinados medicamentos e hérnia de hiato. Esta última é, basicamente, quando o orifício presente no músculo que fica entre o tórax e o abdômen está enfraquecido, por isso acaba ficando mais largo e invadindo a região do esôfago.

Já na gravidez pode ocorrer azia em função do crescimento do bebê, pois começa a faltar espaço para o estômago, contribuindo para que o conteúdo gástrico volte para o esôfago.

Porém, geralmente a dor se torna um problema quando ela se repete com frequência. Nesse caso, ela demonstra que a alimentação do indivíduo pode estar muito desequilibrada, ou que existe um mau funcionamento do sistema digestivo.

Como a escolha dos alimentos pode influenciar na dor?

A ingestão de determinados alimentos e bebidas diariamente pode contribuir para que a dor persista. Por isso, deve-se evitar:

  • pimentas em excesso;

  • chocolate;

  • café e outras bebidas com cafeína;

  • bebidas alcoólicas e ácidas;

  • alimentos gordurosos;

  • fritura;

  • produtos embutidos;

  • refrigerantes e demais bebidas gaseificadas;

Como reduzir e combater a azia e queimação?

Além de evitar os itens citados no tópico anterior, é importante manter uma alimentação saudável e equilibrada. Para tanto, é recomendável ingerir hortaliças, legumes e frutas. Também é fundamental fazer pequenas refeições a cada três horas, pois isso evita que você coma com muita pressa e em grande quantidade.

Somado a esses cuidados, é indicado ingerir frutas como maçã e pera. Elas ajudam a aliviar a azia e má digestão, uma vez que exigem uma mastigação mais lenta. Ao comer devagar e triturar bem os alimentos você diminui o trabalho do estômago, contribuindo para a redução da produção de suco gástrico.

Outro cuidado que pode ser adotado é a ingestão de chás como alecrim, hortelã, camomila, boldo, alfavaca, espinheira santa e maracujá, ou de remédios fitoterápicos com os compostos dessas plantas. Eles são digestivos e levam mais saúde para o organismo.

O chá de alecrim, por exemplo, tem um sabor agradável, ajuda a proteger o estômago e acelera a digestão dos alimentos. O de alfavaca diminui a azia e previne a formação de gases. Já o chá de camomila tem efeito digestivo, controla a ansiedade e combate inflamações. Mas lembre-se: eles devem ser ingeridos após as refeições.

Atenção: se você sofre de azia frequentemente deve evitar ao máximo a ingestão de bebidas gaseificadas (como refrigerantes) durante as refeições.

Outro cuidado que se deve ter é não deitar logo após a alimentação, pois isso contribui para que o ácido do estômago volte para o esôfago.

Procure evitar a ingestão de remédios que provocam irritação no estômago. Entre eles estão: os indicados para pressão arterial, para problemas no coração, antidepressivos, alguns antibióticos e até certos anti-inflamatórios.

Se depois de todos esses cuidados a dor ainda persistir, pode-se investir no uso de algum medicamento para amenizar os sintomas. Entre os mais comuns estão: o omeprazol e o estomazil. Porém, é importante consultar um médico antes.

Contudo, isso não deve se tornar um hábito, pois o uso frequente de antiácidos e outros remédios mais fortes pode comprometer a absorção dos nutrientes presentes nos alimentos. Em longo prazo, a prática poderia provocar problemas mais graves de saúde como anemia, inflamações e baixa imunidade.

Além de manter os cuidados com a alimentação e ingerir chás para aliviar a dor, você pode adotar alguns cuidados adicionais:

  • evite fumar;

  • eleve a cabeceira da cama em 15 centímetros, pois ajuda a reduzir o refluxo;

  • não faça refeições poucas horas antes de dormir;

  • se estiver acima do peso, procure emagrecer. Isso também reduz a sobrecarga do estômago;

  • não pratique atividade física após as refeições;

  • diminua o estresse e a ansiedade;

  • evite roupas apertadas.

A dor contínua pode ser um problema mais grave?

Se você tomar todos os cuidados descritos acima e a azia e queimação persistir por muito tempo, é indicado procurar um médico, pois isso pode sinalizar um problema mais grave.

Esteja preparado para responder as perguntas feitas pelo especialista, pois elas vão ajudá-lo a identificar as causas e, assim, indicar o tratamento mais correto.

Além de obter informações de você, ele poderá solicitar exames mais completos como endoscopia digestiva e motilidade esofágica. O primeiro tem a função de verificar o tecido interno dos órgãos e o segundo, a pressão do esfíncter.

Esses exames poderão ser complementados por outros, caso o gastroenterologista desconfie que você tem outro problema digestivo.

Caso o refluxo não seja tratado a tempo, pode trazer complicações para o paciente. Inclusive, o problema pode se converter em uma doença séria. Veja algumas delas:

  • inflamação do esôfago;

  • dificuldade na deglutição dos alimentos;

  • ferida no esôfago (úlcera);

  • sangramento no esôfago;

  • câncer.

Diante do exposto ao longo do texto, pode-se perceber que uma alimentação saudável e equilibrada pode reduzir as chances de azia e queimação. Porém, se o problema aparecer, você pode adotar o uso de produtos fitoterápicos que contribuem para cuidar da sua saúde. Aproveite a visita e conheça as opções que temos em nossa farmácia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This