O que é musicoterapia e como ela pode transformar sua vida?

Existem diversas terapias alternativas que podem nos ajudar a enfrentar problemas tanto físicos quanto emocionais. Uma delas é a musicoterapia. A técnica vem sendo usada para tratar diversas doenças como dependência química e problemas na fala. Descubra agora o que é musicoterapia e as vantagens de investir nessa terapia!

O que é musicoterapia?

A ideia de que a música pode curar doenças é tão antiga quanto o filósofo Platão. Os benefícios do uso da melodia para a melhora do indivíduo ficaram bastante evidentes quando a terapia foi aplicada em sobreviventes da Primeira e Segunda Guerra Mundial. Pessoas que tinham sofrido intensamente de forma emocional e física conseguiram obter melhoras por meio do tratamento com a música.

A música é uma ótima aliada quando precisamos relaxar e nos livrar do estresse do dia a dia. Usada por profissionais, ela pode ser uma excelente forma de tratamento. A musicoterapia pode ser aplicada em qualquer pessoa e de qualquer idade, sendo essas algumas das vantagens dessa terapia.

Além disso, ela pode ainda usar apenas a melodia, como também a letra da música para equilibrar os aspectos físicos e emocionais de um indivíduo. A prática de instrumentos musicais, tais como flauta e violão, também é utilizada para essa finalidade. O maior objetivo é conseguir se expressar por meio de sons, sendo o canto uma dessas formas de expressão.

Como a musicoterapia funciona?

Para saber como a musicoterapia funciona e os seus efeitos sobre a nossa saúde, precisamos entender, primeiro, como ela age no cérebro e quais seus efeitos sobre esse órgão tão importante.

Diversos estudos mostram que a música traz benefícios em diversos momentos de nossas vidas. Em uma dessas pesquisas, pessoas que estavam com cirurgias marcadas foram divididas em dois grupos: um tomava medicamentos para controlar a ansiedade e o outro ouvia músicas. O resultado? O segundo grupo conseguiu reduzir mais a ansiedade e os níveis de cortisol quando comparado àquele que tomou os medicamentos.

Áreas do cérebro impactadas pela música

No córtex cerebral, existe uma área específica para a audição e ela a responsável por detectar características como frequência (também chamada de altura) e volume. As áreas próximas conseguem distinguir elementos mais complexos como a melodia e o ritmo. A música também excita áreas relacionadas à fala e ao entendimento, como a de Broca e a de Wernicke, localizadas na parte esquerda do cérebro.

Além dessas, a música consegue ativar outras áreas da nossa mente, inclusive aquelas que regem as emoções como alegria e tristeza. Por exemplo, quem tem a amígdala (centro que identifica o perigo) danificada não consegue sentir emoções como medo ou tristeza ao ouvir uma música. Assim, a música está diretamente relacionada às áreas do aprendizado e emoções.

Para quem a musicoterapia é indicada?

A musicoterapia é uma forma de tratamento da área da saúde indicada para qualquer pessoa que possa se beneficiar dos seus efeitos. Essa técnica está sendo utilizada nos mais diversos locais como escolas e hospitais, e por diversos profissionais de saúde a fim de promover uma cura mais rápida e eficaz nos pacientes, auxiliando nos tratamentos.

Veja abaixo quais os benefícios que essa terapia alternativa pode oferecer para a sua saúde!

1. Ajuda no tratamento do autismo

O autismo é uma doença que tem como base uma desordem no neurodesenvolvimento que gera problemas de relacionamento social e provoca alterações significativas na fala e na expressão verbal e não-verbal dos indivíduos afetados. Encontra-se presente, também, um deficit intelectual na ordem de pelo menos 60 a 70% de comprometimento.

Diversas áreas da mente que interagem com a música também são afetadas pelo autismo como a amígdala, a Área de Broca e outras. Já foi constatado que diversos pacientes autistas apresentam um significativo engajamento com o aspecto não-verbal que a música proporciona.

Uma pesquisa conseguiu verificar que os adultos portadores de autismo ainda mantinham o entendimento básico da música intactos, porém, áreas de processamento mais complexo não respondem de maneira efetiva. Canções com letras e falas conseguem oferecer bons resultados nesses casos, sugerindo que essa área do cérebro encontra-se preservada.

2. Melhora o desenvolvimento cognitivo nas escolas

O musicoterapeuta também pode atuar no ambiente educacional com o objetivo de melhorar a percepção e a capacidade cognitiva das crianças, intensificando o aprendizado e estimulando as habilidades sociais, comunicativas e motoras. Há diversos ganhos nessa prática: melhora da concentração e, consequentemente do aprendizado, desenvolvimento da criatividade, maior disciplina, facilidade de expressar os sentimentos, dentre outras vantagens. A técnica pode — e deve — ser aplicada tanto no ensino regular quanto no especial.

Assim, a musicoterapia pode ajudar consideravelmente os alunos que se mostram dispersos, que apresentam dificuldade para aprender e também para se relacionar com os colegas. Além disso, pode auxiliar na melhora da memória e ajuda o aluno a criar um senso de responsabilidade, cumprindo metas e prazos impostos pela escola para as tarefas de casa.

3. Auxilia no tratamento de diversas doenças

A musicoterapia vem sendo empregada de forma intensa nos ambientes hospitalares. Ela está sendo utilizada em pacientes que estão internados por casos de cirurgia (pré e pós), pacientes em coma ou em estado terminal. Indivíduos com transtornos mentais e problemas geriátricos de ordem crônica ou aguda também podem se beneficiar com essa técnica.

Os benefícios da terapia nesse ambiente são os mais variados: podem oferecer ajuda tanto na recuperação física e emocional quanto fazer com que os pacientes sintam-se mais acolhidos. É uma forma, também, de humanizar o atendimento, oferecendo momentos de lazer em um ambiente que costuma gerar estresse e sofrimento em algumas pessoas.

4. Melhora os relacionamentos sociais

Algumas pessoas apresentam dificuldades de se relacionarem com o mundo que as envolve e isso pode ter consequências negativas em diversas áreas de suas vidas. Nesse ponto, a musicoterapia tem sido utilizada para trabalhar com grupos familiares e jovens em situação de risco, que vivem nas ruas, em meio à pobreza e à violência.

Aqui, a terapia atua, basicamente, em duas frentes: a comunitária e a social. Ela consegue melhorar a interação social entre os participantes e, com o tempo, modificar a visão que jovens e adolescentes apresentam sobre as expectativas de suas vidas, deixando o cenário mais positivo.

Onde encontrar um especialista?

Você pode encontrar um musicoterapeuta em diversos locais como hospitais, clínicas, ambientes escolares, centros de psiquiatria ou em empresas com o objetivo de melhorar o relacionamento dos funcionários e a comunicação entre eles.

Esse profissional costuma trabalhar dentro de uma equipe de saúde, na qual um tratamento beneficia o outro. Setores de oncologia, geriatria e pediatria de hospitais também são ambientes onde o musicoterapeuta costuma atuar.

Agora que você já sabe o que é musicoterapia, conte para gente nos comentários o que achou sobre essa terapia alternativa e se já teve alguma experiência com ela!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This