Ácido tranexâmico: conheça esse aliado para uma pele sem manchas

O ácido tranexâmico é um importante aliado de quem sofre com manchas na pele. De fato, o medicamento, combinado com uma boa disciplina de uso, consegue resultados positivos de até 90%. No entanto, antes de iniciar o tratamento, você precisa conhecer os detalhes do seu caso para evitar efeitos colaterais.

Quer saber mais? Vamos tirar dúvidas sobre o assunto a seguir. Acompanhe!

O que é o ácido tranexâmico?

A substância costuma ser muito usada por dermatologistas em formatos de cremes, dermocosméticos ou comprimidos. Sua principal função, nesse caso, é reduzir as inflamações no tecido da pele para tratar manchas.

No contexto clínico, esse tipo de ácido está ligado ao controle de hemorragias causadas por hiperfibrinólise em várias situações, como cirurgias cardíacas, ortopédicas, odológicas ou obstetras. 

Ele acaba com as manchas de melasma?

No universo dermatológico, o ácido Tranexâmico está cada vez mais popular por ser descrito como um remédio para o melasma. No entanto, torna-se necessário conhecer melhor o funcionamento da substância antes de procurar o tratamento.

Os resultados obtidos costumam ser muito satisfatórios quando o uso é realizado de maneira disciplinada. O formato em creme atua com 5% do ácido e apresenta efeito clareador das manchas já existentes. Sem contar que ainda impede a pigmentação induzida pelos raios UV para que a pele não sofra novas agressões.  

No entanto, tudo depende do nível de gravidade do caso, já que existe a possibilidade de usar dermocosméticos combinados com medicamentos orais no tratamento. Veja, abaixo, outros tratamentos que podem ser administrados em pacientes com melasma: 

  • peeling químico;

  • laser;

  • microdermoabrasão.

Em quais situações é indicado?

O uso habitual do ácido tranexâmico tem como função diminuir sangramentos. No entanto, além de tratar melasma, ele ainda é indicado para amenizar o escurecimento das olheiras mistas.

Por serem causadas pela vascularização e pigmentação da pele, a substância previne a mudança de tons na região por meio de raios UV. O problema, entretanto, é que como em tratamentos semelhantes, alcançar a cura não pode ser garantida, pois cada caso necessita de cuidados específicos.

Quem pode usar?

Mesmo sendo considerada uma substância bem tolerada, esse tipo de ácido pode provocar alguns efeitos colaterais, como vômitos, náuseas e aumento da pressão arterial. Quando a aplicação é feita diretamente na pele, as reações adversas são ardência, vermelhidão e manchas temporárias. 

Por este motivo, ele não pode ser usado em pacientes com hemofilia que fazem tratamento com outros remédios. Também, não deve ser administrado em diagnósticos de coagulação intravascular e sangue na urina por diferentes causas. Além disso, existem restrições diante da necessidade de cirurgias torácicas ou abdominais, pelo alto risco de causar hematomas. 

Pronto! Agora você já sabe como usar o ácido tranexâmico como um aliado na hora de conquistar uma pele sem manchas. O mais importante é ter consciência que, apesar de seus benefícios, a substância se trata de um medicamento e deve ser administrada com o acompanhamento de um profissional. Assim, fica muito mais fácil alcançar os melhores resultados e a saúde da derme a longo prazo. 

Gostou das informações deste artigo? Então leia também sobre o funcionamento de medicamentos manipulados

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This