Descubra os fitoterápicos para emagrecer mais comuns

O uso de medicamentos fitoterápicos que emagrecem tem se tornado cada vez mais comum entre os brasileiros. A fitoterapia é um tratamento que, por meio da utilização de plantas, atua direta ou indiretamente na promoção do emagrecimento e da saúde. Por se tratarem de compostos naturais, os fitoterápicos se configuram como uma excelente opção na busca pelo emagrecimento saudável.

Assim, com a devida orientação de um profissional da área da saúde, é possível desfrutar dos diversos benefícios dos medicamentos fitoterápicos na hora de perder peso.

Pensando nisso, listamos algumas informações sobre fitoterápicos que emagrecem, suas principais ações no organismo e desmistificamos alguns mitos sobre o assunto. Você também vai conferir outros momentos em que fitoterápicos são indicados. Confira logo abaixo!

Inibição do apetite

A falta de controle sobre o apetite pode ser considerada como um dos principais agravantes no ganho de peso. Além disso, a partir do momento que se cria a meta de emagrecer, o sacrifício de reduzir o volume de alimentos da dieta pode ser também um dos principais fatores para recaídas.

Entretanto, existem vários fitoterápicos com ação de inibição do apetite. Esses medicamentos atuam no equilíbrio de compulsões alimentares, o que torna essa transição alimentar mais agradável ao indivíduo com sobrepeso.

Seguem alguns exemplos de fitoterápicos com efeitos de redução do apetite: a Garcínia cambogia, o Citrus aurantium, a Spirulina, a Slendesta, a Pholiamagra, a Caralluma, dentre outros.

Aceleração do metabolismo  

Outra ação benéfica dos fitoterápicos na redução de peso é a aceleração do metabolismo corporal. O aumento do metabolismo — reação imprescindível para a manutenção da vida no organismo — implica em um melhor funcionamento do corpo. Promove uma melhor digestão dos alimentos e aproveitamento dos nutrientes, além de intensificar a queima de gorduras.

Ou seja, os fitoterápicos com efeito acelerador do metabolismo catalisam os resultados de uma dieta e rotina dedicadas ao emagrecimento. É importante ressaltar que a ação metabólica varia e cada organismo deve ser analisado separadamente.

Podemos citar como exemplos de alguns fitoterápicos com esses efeitos o Phaseolus vulgaris, a Caralluma fimbriata, a Gymnema sylvestre, o Citrus aurantium, dentre outros.

Diminuição da produção de gordura

A produção de gordura depende diretamente da glicemia do indivíduo, uma vez que o tecido adiposo configura-se como a principal reserva energética do corpo. Entretanto, a manutenção de uma dieta calórica induz a liberação de glicogênio produzido pelo fígado no sangue aumentando, assim, a concentração de ácidos graxos na corrente sanguínea.

Finalmente, esse excesso de ácidos graxos será depositado no tecido adiposo na forma de gordura. E a utilização de medicamentos fitoterápicos auxiliará no controle do apetite e no consequente aumento da produção de insulina — hormônio que abaixa o nível de glicose no sangue. Além dos citados no tópico anterior, é possível listar a Pholia Negra, Cassiolamina, Chitosan, Garcínia, dentre outros.

Aumento da diurese

O aspecto de inchaço ocorre devido a um processo de retenção de líquidos no corpo. O acúmulo de líquidos no tecido linfático pode ser causado por diversos fatores, como os problemas renais, a ingestão de certos tipos de medicamentos e até mesmo a má hidratação ao longo do dia.

Alguns medicamentos fitoterápicos têm o efeito diurético, o que é um grande benefício desses medicamentos e produzem resultados consideráveis, tanto na redução de medidas quanto na promoção do bem-estar do indivíduo. Alguns dos fitoterápicos que têm essa propriedade são: a Uva Ursi, a Urtica dioica, o Abacateiro e a Cordia salicifolia. 

Ação antioxidante

O organismo produz radicais livres de forma constante. Essa produção, a partir de uma alimentação pouco nutritiva, torna-se cada vez maior, podendo agravar o risco do desenvolvimento de doenças, degradação das células, envelhecimento precoce e o mau funcionamento do corpo. Ou seja, a presença de radicais livres em excesso afeta diretamente o ganho de peso de um indivíduo.

A partir disso, deduz-se que a ingestão de antioxidantes se torna fundamental, já que essas substâncias combatem os radicais livres. Existem vários fitoterápicos que apresentam essa ação, dentre os quais o chá verde, o beta caroteno, o chá vermelho, o dente-de-leão, a Isoflavona e o Licopeno.

Ação anti-inflamatória

Durante o processo de digestão, vários alimentos podem desencadear uma reação inflamatória no organismo, como o leite. Esses processos demandam uma grande quantidade de esforço do corpo, afetando diretamente a absorção de nutrientes. Dentre os fitoterápicos com efeitos anti-inflamatórios, destacam-se o chá verde, o Boswellin, a Camomila, a castanha-da-índia, o chapéu-de-couro e a Equinácea.

Estimulante natural

A falta de ânimo e de energia pode ser considerada como um fator agravante no ganho de peso. Assim, a utilização de estimulantes é extremamente benéfica para aumentar a força de vontade, estimulando a prática de atividades físicas. Alguns dos medicamentos fitoterápicos que influenciam nesse processo são a Cordia salicifolia, o Ginseng, a Marapuama, a Pfaffia e o chá verde.

Importância da orientação profissional

Embora muito dos estudos sobre os princípios ativos dos fitoterápicos sejam advindos da cultura popular, é fundamental que sua utilização seja feita a partir da orientação de um profissional capacitado.

É de extrema importância a noção do uso correto desses medicamentos para que os objetivos sejam alcançados com maior segurança e para que possíveis danos sejam evitados.

Por isso, médicos, nutricionistas e farmacêuticos devem considerar a dosagem correta, os horários de ingestão e bem como entender exatamente qual o princípio ativo de cada medicamento. Além da orientação profissional, é importante analisar com cuidado o local onde os medicamentos fitoterápicos que emagrecem serão adquiridos, a fim de garantir a sua qualidade e eficácia.

Principais mitos referentes aos fitoterápicos

Diante de tantas opções químicas e sintéticas, o medicamento fitoterápico para emagrecer é uma solução cada vez mais conhecida pelos pacientes e receitada pelos profissionais de saúde.

Ainda assim, existem muitas crenças populares acerca desses fármacos, já que seu uso remonta a tempos muito antigos. Pensando nisso, neste tópico, vamos abordar os principais mitos referentes aos medicamentos fitoterápicos.

O registro na Anvisa não é obrigatório

Esse é um grande mito. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) regulamenta e fiscaliza todos os tipos de medicamentos — inclusive o medicamento fitoterápico. O órgão é responsável por controlar a produção, o registro e ainda deve acompanhar sua comercialização. Caso o fitoterápico apresente algum risco para a saúde da população, ele deve ser retirado do mercado.

Além disso, para o medicamento receber a classificação de fitoterápico pela Anvisa, é necessário que ele só tenha matérias-primas 100% vegetais. A Organização Mundial da Saúde (OMS), por outro lado, identifica esses medicamentos como sendo aqueles preparados com extratos vegetais presentes em partes da planta ou em sua totalidade.

Não existem efeitos colaterais

Muitas pessoas acreditam que, por serem 100% naturais, os medicamentos fitoterápicos que emagrecem não têm efeitos colaterais. Porém, se consumidos de maneira indiscriminada, eles podem causar alguns problemas no organismo, sim!

Essa informação é muito importante pois a dose incorreta, mesmo de um medicamento natural, pode ser altamente perigosa para o usuário, levando a quadros de intoxicação.

O tratamento não é muito efetivo

Esse é um dos maiores mitos acerca desses medicamentos. Os fitoterápicos são tão efetivos quanto qualquer alopático — aqueles industrializados e sintetizados em laboratórios —, seja para emagrecer, para gripes, resfriados ou doenças mais graves.

No Brasil existe, desde 2008, o Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, que garante um acesso mais seguro a esses medicamentos. Inclusive, o SUS distribui gratuitamente alguns fármacos regulamentados pela Anvisa.

O horário e a forma de ingerir o medicamento não influenciam no resultado

É importante que os medicamentos sejam tomados no horário pré-determinado e da maneira correta. Aqueles que têm algum tipo de estimulante, como o Ginseng, não devem ser ingeridos à noite, pois podem interferir no sono de quem tem mais sensibilidade para dormir. É igualmente importante analisar o peso, a idade e o metabolismo de cada pessoa.

Outros momentos em que fitoterápicos são indicados

Como já dito anteriormente, além dos fitoterápicos que emagrecem, há outros para os mais diversos problemas como cicatrizes, inflamações, queimaduras, gastrite, dor lombar, funcionamento do intestino, ansiedade, insônia, varizes, dentre outros. Para que os resultados sejam alcançados com segurança, a Anvisa classifica e regulamenta cada um deles a partir da análise de pesquisas e de comprovação científica.

A maneira como esses medicamentos agem no organismo dependerá da dose ministrada e de outros medicamentos que, porventura, o usuário esteja tomando. Também é importante reafirmar que o fato de ser um fitoterápico não implica em uma maior ou menor eficácia quando comparado a medicamentos alopáticos. Mas implica em uma diminuição dos efeitos colaterais.

De acordo com a Anvisa, “os fitoterápicos também podem ser utilizados de forma auxiliar ou complementar ao tratamento com um medicamento de origem sintética”. Porém, é fundamental que o profissional — que prescreveu o medicamento que já está sendo utilizado — fique a par da situação, devido à interação medicamentosa.

E a lista desses medicamentos é vasta. Veja abaixo alguns dos medicamentos fitoterápicos registrados e para que são utilizados: 

Aloe Vera

A aloe vera ou babosa, assim como todas as outras plantas, torna-se um medicamento fitoterápico quando passa por processos industriais de produção, com alto controle de qualidade e com regulamentação da Anvisa. Os benefícios oferecidos por ela são os mais diversos, como hidratar a pele e o cabelo, tratar de gastrite e ajudar no equilíbrio do colesterol.

Além desses, seu efeito cicatrizante é tão bom que a aloe vera é aplicada em casos de queimadura de primeiro e de segundo graus. Ela é utilizada em forma de gel, que pode até ser ingerido misturado a diversos líquidos, como sucos e vitaminas. Também pode fazer parte da composição de cosméticos, atuando na prevenção de rugas e como hidratante.

Arnica

Com diversos benefícios à saúde humana, há relatos históricos de que a arnica vem sendo utilizada por muitos séculos. Um dos seus efeitos mais conhecidos é amenizar as dores musculares, por meio do uso tópico, devido às suas propriedades anti-inflamatórias. Também é utilizada para tratar de artrite e reumatismo.

Além disso, pode ser usada em casos odontológicos para curar infecções, dor de dente, gengivite e até para amenizar hemorragias. Comercializada na forma de tintura para uso tópico, não deve ser aplicada em machucados expostos. Seu uso via oral deve ser feito apenas quando muito diluída, pois é altamente tóxica.

Carqueja

A carqueja, muito utilizada para chá, é um medicamento fitoterápico também bastante utilizado na forma de tintura. Ela é indicada para tratar de problemas no fígado e na vesícula biliar, além de ser excelente para ajudar na digestão de alimentos gordurosos. Muito comum no Brasil, essa planta também é indicada para diabéticos, pois ajuda na diminuição da absorção dos carboidratos.

Salgueiro

Esse medicamento fitoterápico é indicado para aliviar dores de cabeça, de dente e de garganta, além de dores musculares e cólicas menstruais. Por sua propriedade antipirética, é capaz de auxiliar na diminuição da febre, por exemplo. E também possui ação anti-inflamatória sendo, por isso mesmo, indicada em casos de artrite e reumatismo, aliviando a sensação de desconforto.

É importante lembrar também que apenas a utilização de medicamentos fitoterápicos que emagrecem ou oferecem tantos outros benefícios pode não ser o suficiente para alcançar o objetivo final. No caso, para emagrecer de forma saudável, eles devem ser utilizados de maneira complementar a uma dieta balanceada, assim como associada à prática de atividades físicas, sempre com orientação profissional.

Agora que você já sabe que pode confiar no uso de fitoterápicos, que tal ver mais opções para emagrecer com segurança? Confira, então, os 4 sucos naturais para emagrecer com saúde!

Comments (10)

    1. Olá Jucelene, meu nome é Susanne, sou farmacêutica e quero muito te ajudar!
      Isso é uma problema muito comum.
      Muitos iniciam um tratamento e não conseguem termina-lo.
      O começo é sempre o mais difícil. mas quando você se esforça e começa a ver os resultados, você fica tão feliz e satisfeita que não quer parar.
      O segredo é esse. Se esforce no começo que os resultados virão.
      Me coloco a disposição para te ajudar.
      entre em contatos que farei o possível para que tenha um excelente tratamento.
      Estarei aguardando sua ligação ansiosamente.
      Um grande abraço.
      Susanne
      Farmacêutica Nature Derme
      (31) 3214-9050
      (31) 82256597 (whastapp)
      http://www.naturederme.com.br

  1. Amei o artigo, ganhou mais um leitor desde portal de grande conteudo, espero que continue a eleborar sempre sempre coisa de qualidade como vc vem fazendo, obrigado.

  2. Excelentes dicas para nós mulheres que desejamos emagrecer,colocar todas elas em prática e espero obter o resultados positivos. Desde já agradeço por ter encontrado seu blog. Parabéns.

  3. Excelente dica sobre emagrecimento, estou precisando de incentivo e muita força de vontade e conseguir encontrar aqui no seu artigo, muito obrigada, vou colcoar em prática e ver se vou conseguir obter os melhores resultados possíveis. Obrigada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This