Manchas escuras na pele: 5 mitos e verdades sobre o melasma

 

Você se cuidou, mas não teve jeito: ao olhar no espelho, identificou manchas escuras na pele — o melasma.

Para além do rosto, onde é mais comum, o temido melasma também pode surgir nos braços, no colo e no pescoço, deixando muitas mulheres preocupadas — e correndo para marcar uma consulta urgente com o dermatologista.

Mas será que tudo o que dizem sobre essas manchas incômodas é mesmo verdade? Confira, agora mesmo, alguns mitos e verdades sobre o tema e previna-se!

1. Somente as mulheres têm melasma: mito

As manchinhas escuras são realmente mais comuns e frequentes nas peles femininas, mas os homens também podem padecer desse mal.

O que influencia o surgimento do melasma são outros fatores independentes do sexo, como exposição aos raios solares, fatores hormonais e genéticos.

2. O sol é um grande vilão: verdade

Não há uma causa definida para o surgimento das manchas, mas a exposição à luz ultravioleta é, sem dúvida alguma, o fator desencadeante do problema.

Ou seja, para se proteger, use e abuse do protetor solar todos os dias, independentemente do tempo e se você vai se expor diretamente ao sol ou não. Isso porque, mesmo nos dias chuvosos, o sol continua no céu, certo? E ainda que dentro de casa, a luz solar acaba entrando — e ninguém vai viver em uma caverna escura, não é verdade?

3. Grávidas estão mais sujeitas ao melasma: verdade

Como dissemos, os fatores hormonais ajudam a desencadear os melasmas e, durante a gravidez, os hormônios estão em uma concentração mais alta no corpo feminino.

Durante esse momento especial da vida, inclusive, as manchas têm o nome de cloasma gravídico.

4. Há vários tipos de melasma: verdade

Atualmente, as manchas são classificadas de três formas diferentes:

  • melasma epidérmico: quando há mais pigmento depositado através da camada mais superficial da pele, a epiderme;

  • melasma dérmico: quando há melanina depositado ao redor dos vasos superficiais e, também, mais profundos;

  • misto: quando o excesso de pigmento é depositado na epiderme (em algumas áreas) e na derme (em outras áreas).

Além disso, há 3 tipos de padrões faciais mais comuns de melasma:

  • malar: que surge nas maçãs do rosto;

  • centrofacial: que surge na testa, bochechas, nariz, acima do lábio e queixo;

  • mandibular: que varia conforme a região em que aparece.

5. Qualquer tipo de tratamento pode melhorar o melasma: mito

Apesar de existirem, hoje em dia, muitos recursos para amenizar as manchas escuras, há procedimentos que não são adequados e acabam piorando a situação.

Por isso, para não ver as suas manchas piorarem, busque sempre a orientação de um profissional sério, experiente e competente no assunto. Peça referências e informe-se antes de iniciar qualquer tratamento.

Agora que você já sabe quais são os principais mitos e verdades sobre essas temidas manchas escuras na pele, vai ficar mais fácil evitar e combater o melasma. Mas lembre-se: o mais importante é manter a sua saúde, o amor-próprio e sentir-se bem com a própria pele.

Gostou deste conteúdo e quer receber mais artigos sobre vida saudável, beleza e bem-estar diretamente em seu e-mail? Basta assinar a nossa newsletter!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This