O que você precisa saber sobre o intestino irritado? Confira!

Se você sofre com dificuldades para ir ao banheiro, inchaços, desconfortos e cólicas constantes, saiba que você pode estar com o intestino irritado. Essa condição acomete cerca de 20% da população e impacta diretamente o bem-estar e a qualidade de vida das pessoas.

A Síndrome do Intestino Irritado não representa complicações severas à saúde, mas é bastante limitadora no cotidiano, afetando a vida social, profissional e demais atividades do dia a dia. Sendo assim, é importante conhecer melhor essa condição. Com este post, você entenderá melhor o que ela é, qual a sua causa e seus sintomas. Fique atento!

Afinal, o que é a Síndrome do Intestino Irritado?

Antigamente, essa síndrome era chamada de colite nervosa, pois as reações se manifestavam após situações de estresse, distúrbios emocionais ou quadros traumáticos. Isso também acontecia pelo fato de que as disfunções intestinais dão um aspecto de irritação ao órgão. Mais tarde, passou a ser denominada de Síndrome do Cólon Irritado.

No entanto, pesquisadores verificaram que o cólon não era a única parte afetada, pois todo o intestino era atingido. Passou-se, então, a utilizar a nomenclatura de Síndrome do Intestino Irritado (ou Irritável) — SII.

Quando nos alimentamos, os músculos que revestem as paredes dos intestinos se contraem e relaxam conforme os alimentos passam pelo estômago em direção ao reto. Em pessoas que têm a SII, essas contrações tanto podem ser muito mais fortes quanto bem mais fracas. No primeiro caso, surgem gases, flatulência, diarreia e cólicas. Por sua vez, no segundo, há demora no processo de digestão, levando à constipação.

O que causa essa síndrome?

Não há como apontar uma causa específica para que uma pessoa desenvolva a Síndrome do Intestino Irritado. No entanto, há uma série de fatores que estão relacionados ao surgimento dos sintomas. A seguir, conheça os principais:

  • estresse: grande parte das pessoas que sofrem com a SII notam que os sintomas se agravam em períodos de estresse;

  • alimentação: os sintomas costumam aparecer após a ingestão de determinados alimentos, como chocolate, gorduras, feijão, especiarias, leite, álcool, bebidas gaseificadas, repolho e brócolis;

  • doenças: problemas de saúde, como a gastroenterite, também podem estar por trás da ocorrência dos sintomas;

  • hormônios: as mulheres são mais propensas a apresentar a SII. As mudanças hormonais típicas da menstruação ajudam a desencadear as alterações nas contrações dos intestinos.

Quais são os principais sintomas?

As reações podem variar bastante de pessoa para pessoa. No entanto, as mais comuns são:

  • gases;

  • sensação de inchaço;

  • dor abdominal e cólicas;

  • muco nas fezes;

  • diarreia ou constipação (há casos em que os dois problemas se alternam).

Como tratar?

Como não há uma causa particular que leva à Síndrome do Intestino Irritável, o objetivo de um tratamento é amenizar os sintomas e melhorar a qualidade de vida do paciente. Para isso, é fundamental fazer um acompanhamento médico.

Se necessário, o profissional prescreverá medicamentos específicos para cada caso. Alguns fitoterápicos são muito recomendados, pois reduzem os gases intestinais, a constipação, a diarreia e outros sintomas característicos.

Além de remédios, mudanças no estilo de vida fazem parte do tratamento. Então, procure identificar quais alimentos funcionam como um gatilho para as crises e elimine-os do seu cardápio. Além da reeducação alimentar, pratique atividades físicas e busque meios de aliviar o estresse e a ansiedade.

Enfim, os sintomas da Síndrome do Intestino Irritado são extremamente incômodos e podem prejudicar bastante a vida social e o bem-estar do indivíduo. Por esse motivo, é fundamental ter a ajuda de um especialista para tratar o problema, amenizar os sintomas e, assim, ter uma melhor qualidade de vida.

Gostou deste post? Quer saber mais sobre saúde e beleza? Então, assine agora mesmo a nossa newsletter para receber os melhores conteúdos direto em sua caixa de entrada!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This