Síndrome de burnout: conheça já suas causas

Talvez, se falarmos o termo “Síndrome de Burnout”, muitas pessoas não saberão do que se trata. Mas se nos referirmos às causas da Síndrome de Burnout, um esgotamento profissional com consequências preocupantes, certamente, todos vão entender.

As principais causas da Síndrome de Burnout estão relacionadas ao ritmo de trabalho dos dias atuais: os profissionais precisam dar conta de muitas atividades ao mesmo tempo, ser proativos e não parar para (quase) nada. Muitos até tentam, mas o corpo não corresponde ao ritmo, afinal, não foi feito para isso.

Se você se identificou com este texto, continue a leitura para saber como reconhecer a Síndrome de Burnout e seus principais sintomas e conferir seu tratamento.

O que é a Síndrome de Burnout

Como dissemos, a Síndrome de Burnout se caracteriza como um distúrbio psíquico relacionado à tensão emocional e ao estresse provocados por uma condição de trabalho, geralmente, desgastante.

Apesar de haver algumas profissões que estão mais propensas à Síndrome (como professores e policiais) qualquer profissional pode ser acometido, afinal, a pressão por resultados, a corrida contra o relógio e um clima organizacional pesado e exaustivo são comuns em todo tipo de trabalho, atualmente.

Como saber que o estresse virou Síndrome

Com a pressão do dia a dia de trabalho, é comum que, vez ou outra, os profissionais se sintam mais nervosos, fadigados ou desgastados — o chamado estresse.

Mas é preciso estar atento ao agravamento de alguns sintomas. Quando o esgotamento físico e mental se reflete em algumas atitudes, é hora de ligar o alerta:

  • Agressividade e irritabilidade excessivas;
  • Mudanças bruscas no humor;
  • Ausência no trabalho;
  • Problemas de concentração e memória;
  • Isolamento, pessimismo e depressão.

Além disso, alguns sintomas físicos podem ocorrer, como:

  • Taquicardia;
  • “Apagões”;
  • Dores de cabeça e musculares;
  • Pressão alta;
  • Crises de asma;
  • Distúrbios intestinais.

Como é feito o diagnóstico

Por meio de uma conversa e o levantamento do histórico do paciente, um médico especializado é capaz de diagnosticar a Síndrome de Burnout.

As respostas psicométricas a um questionário específico também podem ser esclarecedoras.

Qual é o tratamento

Geralmente, o tratamento da Síndrome de Burnout inclui as mesmas medidas aplicadas às pessoas com um quadro de estresse e ansiedade.

Além do uso de antidepressivos (sempre receitados pelo médico) e a psicoterapia, é indicado que o paciente mude os seus hábitos de vida, em busca de um dia a dia mais tranquilo e saudável.

Exercícios de relaxamento, bem como atividades físicas frequentes, alimentação balanceada, boas noites de sono e atividades prazerosas são bastante recomendadas para controlar os sintomas e “colocar os nervos no lugar”, não apenas no auge das crises, mas durante toda a vida, inclusive.

Em muitos casos, também é indicado que o paciente se afaste do trabalho por um pequeno período (entre uma e duas semanas) para se reequilibrar. Por fim, o uso de bebidas alcoólicas e outras drogas é altamente desaconselhado.

As causas da Síndrome de Burnout, infelizmente, fazem parte do dia a dia da grande maioria dos profissionais, hoje em dia. Cabe a cada um saber equilibrar os seus momentos de tensão com atividades prazerosas, manter um estilo de vida que priorize a saúde e, finalmente, saber respirar e dar aos problemas a dimensão que eles realmente têm. É um desafio, mas vale a pena tentar!

Agora que você já sabe um pouco mais sobre a síndrome de Burnout que tal utilizar um cupom de 20% OFF para você em nossa loja virtual? É só digitar BLOG20 no carrinho de compras e aproveitar o desconto.
👉 Clique aqui para comprar pelo WhatsApp.
👉 Clique aqui para comprar pelo Site.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dois + dezoito =